Kuan Yin – Conheça a história da Deusa da Compaixão no Budismo

Last Updated on / Atualizado em
by DanFF

Neste post você conhecerá a história de Kuan Yin, a Deusa da Compaixão e da Misericórdia no Budismo.

É muito comum encontrarmos os nomes Guanyin, Guan Yin, Quan Am, Kannon ou Kwannon se referindo à mesma divindade.

Você também aprenderá um pouco sobre a história do Budismo e como Kuan Yin é reconhecida em diferentes partes do oriente.

Se você preferir você pode assistir ao vídeo sobre Kuan Yin no nosso canal do YouTube e se inscrever por lá.

Foto Perfil DanFF 2021 (150x150)

Olá, tudo bem? Você já faz conhece meu canal no YouTube?
Todo o conteúdo é gratuito!
Entre, se inscreva e deixe um comentário por lá! Respondo a todos!

Uma breve história do Budismo na China

Primeiramente, o Budismo surgiu na Índia, fundado por Buda, no século VI AEC.

Ele rapidamente se espalhou por outros territórios.

Conforme o Budismo se espalha para fora da Índia, “escolas” Budistas surgem e acabam criando vertentes do Budismo.

Um dos principais territórios par ao qual o Budismo se espalhou foi a China com a vertente conhecida como “Mahayana”.

Propagação Do Budismo - Mapa
Mapa ilustrativo da propagação do Budismo da Índia para outros países

O Budismo na China foi muito bem aceito e ele acabou se fundindo com as filosofias que já existiam por lá, como o Taoísmo e o Confucionismo.

Porém, mesmo sendo bem aceito por lá, a nova filosofia ganhou “rivais” que não a apreciavam.

A China tem uma história complexa que envolve sempre muita guerra entre clãs e imperadores.

Durante séculos, o Budismo “alternou” entre aceito e “combatido” por lá.

Na verdade, foram 4 grandes perseguições contra o Budismo. Na quarta, diversos templos foram queimados e estátuas de ouro e bronze foram derretidas.

Momentos difíceis e a ajuda da Deusa da Misericórdia

Pois bem, após a terceira perseguição ao budismo, lá pelo ano de 845 EC, a China entrou em mais uma guerra entre seus clãs e o país inteiro passou por diversas dificuldades.

Após essa época, a divindade Kuan Yin – que já era conhecida – se tornou cada vez mais popular e as pessoas passaram a pedir proteção para que ela ajudasse a aliviar as dores do momento.

Ela estava representada em todos os lugares. Todo mundo tinha uma imagem de Kuan Yin, um entalhe, um texto.

Kuan Yin - Pintura Chinesa
Kuan Yin – Pintura Chinesa

Por isso, esta Deusa da Compaixão é uma das divindades mais cultuadas na China até hoje.

Os momentos difíceis fizeram com que as pessoas buscassem conforto. E esse conforto não só era encontrado na filosofia ou na espiritualidade, mas na figura carinhosa e cuidadora da Deusa.

Portanto Kuan Yin é uma Deusa Budista. Porém, assim como o Budismo inteiro, ela também possui uma ligação com a Índia e o Hinduísmo.

Como surgiu e quem é Kuan Yin?

Existem diversas histórias que contam como surgiu e quem é Kuan Yin.

Enquanto uma delas tem origem no Budismo Indiano, a outra tem origem na mitologia Chinesa.

Kuan Yin surge de Avalokiteshvara

Primeiramente, Kuan Yin deriva de uma outra divindade, uma bodhisattva de mil braços que possui tanto a energia masculina quanto a feminina chamada Avalokiteshvara.

Avalokiteshvara faz parte do budismo indiano e é descrita no Mahayana.

Avalokiteshvara - Divindade da Compaixão
Avalokiteshvara – Divindade da Compaixão

Ele (ou ela) é a divindade maior da compaixão. Ele ouve o choro de todos os mortais que precisam de ajuda.

Quando o Budismo chegou na China, ele se encontrou com o Taoísmo. E o Tao se baseia no Yin e Yang, na dualidade e no complemento.

Como as qualidades de compaixão, de misericórdia e de carinho são mais associadas ao lado feminino, Avalokiteshvara se tornou unicamente feminina. Daí surgiu Kuan Yin, a Deusa da Misericórdia.

Existe um aspecto importante a ser notado aqui.

O Mahayana se popularizou na China e, posteriormente, no Japão.

Uma outra variação do Budismo, chamada de Vajrayana, se popularizou no Nepal – ao lado da China.

No Vajrayana, Avalokiteshvara se manifesta através de outra divindade. A Deusa da Cura Tara.

Tara e Kuan Yin compartilham de várias características, mas são divindades diferentes.

Em alguns locais, as duas são consideradas a mesma Deusa.

A princesa Miao Shan se torna uma bodhisattva

Vamos então conhecer uma das histórias mais famosas sobre a origem de Kuan Yin, que é a história da princesa Miao Shan.

Uma das versões mais difundidas é de que a princesa Miao Shan era a terceira filha de um casal de rei e rainha. Porém, ela fora desprezada por ser mais uma filha, mulher. O casal queria um filho.

Não satisfeitos e não ter um herdeiro homem, os pais arranjaram um casamento para Miao Shan com um homem rico.

Mas Miao Shan não queria se casar. Ela queria atingir a iluminação através da meditação e do autoconhecimento.

Os pais não concordavam com as escolhas da filha. Então eles armaram uma armadilha.

Eles enviaram a filha para um templo budista onde ela poderia seguir o caminho do Buda, mas solicitaram aos monges que ela fosse maltratada e fosse obrigada a realizar todas as tarefas pesadas.

Dessa forma, eles acreditavam que Miao Shan ia se arrepender de ter ido e pediria para voltar.

A estratégia parecia perfeita, mas não deu certo. Mesmo com os mals tratos Miao Shan seguiu seu caminho dentro do tempo, no Budismo.

Ela segue seu caminho como uma Bodhisattva.

Sabendo que a filha continuaria seguindo este caminho de meditação e autoconhecimento, o pai ordenou que ela fosse morta.

Ele contratou soldados que a levaram para o meio de uma floresta para exterminá-la.

Miao Shan já sabia o que aconteceria a ela quando fora levada pelos soldados, mas seguiu sem objeções e sem medo.

De repente, enquanto estavamos todos no meio da floresta e momentos antes de Miao Shan ser morta, um tigre branco surgiu, derrubou os soldados e pegou Miao Shan, levando ela para o alto de uma montanha onde ela começou a meditar em paz.

Miao Shan regatada pelo tigre branco
Miao Shan é resgatada pelo tigre branco

Miao Shan desperta como Kuan Yin

O pai dela acabou criando um Karma enorme ao perseguir a filha. Além disso, sabia-se que ele não era um bom rei para o seu povo.

O tempo passou e ele ficou doente. Mesmo com sua riqueza e poder, ninguém sabia o que fazer para curar a doença.

Repentinamente, um dia um monge o visitou e disse para ele que se ele encontrasse uma pessoa que não tivesse raiva em seu coração e que pudesse doar um braço e um olho, seria possível fazer uma cura para a doença que tinha.

Ele então responde que não existe uma pessoa sem raiva no coração e que, mesmo que existisse, não daria um braço e um olho por ele.

Para sua surpresa, o monge então diz que essa pessoa existe sim! E que ela vive no topo de uma montanha próxima.

Incrédulo, o rei enviou um mensageiro até o topo da montanha para pedir um braço e um olho para a pessoa. Sim, ele teve a cara de pau de pedir. Mas ele não fazia a menor ideia de que a pessoa era sua filha, Miao Shan.

Sem hesitar, Miao Shan entregou os dois braços e os dois olhos ao mensageiro, que os levou de volta para o rei.

Uma poção foi feita com os ingredientes e ele ficou milagrosamente curado da doença.

Após a cura, ele e a esposa decidiram agradecer pessoalmente a pessoa que doou os ingredientes. Então os dois subiram a montanha.

Quando chegam lá, se depararam com Miao Shan.

Os dois ficaram chocados ao reconhecerem a filha. Não sabiam o que dizer ou que fazer.

O rei então se desculpou por tudo o que fez a ela e agradeceu por ela, mesmo assim, ter salvo a vida dele.

Miao Shan respondeu:

Ao entregar os olhos humanos, eu passei a enxergar com os olhos de diamante;

Ao entregar meus braços, eu ganhei braços de ouro.

Miao Shan para seu pai

Neste exato momento, Miao Shan se tornou Kuan Yin. Ela despertou de vez o terceiro olho e milhares de braços surgiram.

Porém, no momento de atingir a iluminação (o Nirvana), Kuan Yin ouviu o choro dos humanos e os gritos de dor.

Então ela decidiu permanecer na Terra até que nenhuma alma estivesse mais em sofrimento.

Desta forma, Kuan Yin continua até hoje em nossa esfera nos ajudando.

Kuan Yin - Deusa da Compaixão
Kuan Yin – Deusa da Compaixão
Trismegistia Brasil

Siga Trismegistia no Spotify

Símbolos de Kuan Yin

Kuan Yin então é a Deusa da Misericórdia e da Compaixão no Budismo.

Ela possui diversos símbolos que a representam.

Além disso, Kuan Yin possui 33 manifestações diferentes. Cada uma delas possui uma única história e algo que ela fez para resolver o problema e ajudar as pessoas.

Comum a estas 33 manifestações, estão alguns símbolos que são encontrados em mais de uma delas.

Os principais símbolos de Kuan Yin são:

  • A jarra de jade com água eterna ou orvalho;
  • Flor de Lótus;
  • Ramos de Salgueiro;
  • Água em geral
  • Dragão.
Kuan Yin - Símbolos da Deusa
Guanyin com o jarro de água eterna e ramos de salgueiro

Interpretação dos símbolos

Na maioria das imagens de Kuan Yin, ela segura uma jarra com água eterna ou orvalho.

Em muitas delas, a jarra está virada e a água cai infinitamente, simbolizando a eternidade.

Essa jarra com água eterna ou orvalho significa a habilidade de renovação e de cura.

Um dos principais lemas do Budismo é que tudo deve se mover como a água e se renovar e se adaptar. Deve-se deixar pra trás o sofrimento e sempre buscar novos caminhos quando nos deparamos com obstáculos.

Outro símbolo comumente encontrado nas imagens é a flor de lótus.

Assim como no Hinduismo e entre os Deuses Hindus, a flor de Lótus significa pureza e leveza.

Em muitas imagens, principalmente em pinturas e estátuas, vamos ver Guanyin junto a um dragão.

Nesta forma ela simboliza o domínio sobre a fúria e a força da destruição.

A Deusa da Misericórdia também aparece carregando alguns ramos de salgueiro.

Isso simboliza a habilidade de purificar e de acalmar.

Kuan Yin está totalmente ligada à água. A água tem o poder de curar e purificar e é dito que Kuan Yin se manifesta através da chuva, seja chuva normal ou etérea.

Uma das suas manifestações, Yangliu Guanyin, curou a seca de uma região e purificou as pessoas com uma chuva.

Essa ligação entre a Deusa da Misericórdia e a água, bem como à cura e aos milagres, a faz ser bem semelhante à Virgem Maria.

Além da simbologia, ambas as Deusas vestem um manto e simbolizam o poder maternal.

O mantra de Kuan Yin

Enquanto Deusa da Compaixão e manifestação de Avalokiteshvara, Kuan Yin tem uma ligação muito forte com o chacra cardíaco.

Por isso, o mantra de Avalokiteshvara também é associado à esta Deusa.

Este mantra é o OM MANI PADME HUM que significa “Recebemos a Jóia da consciência no coração do Lótus.” onde o Lótus é o Chacra Cardíaco.

Portanto quando este mantra é entoado, as energias trabalhadas são de cura, de misericórdia e, principalmente de compaixão.

OM MANI PADME HUM - Mantra de Kuan Yin
OM MANI PADME HUM

Pôster “Compaixão de Kuan Yin”

Conforme eu mencionei no vídeo “5 Lições para aprender com Kuan Yin“, abaixo está o botão para você baixar o pôster, imprimir e colar pela sua casa.

Toque aqui para baixar o PDF
Kuan Yin – Poster Compaixão para imprimir

A Lei do Karma

Atualmente Kuan Yin é considerada a senhora do karma.

Sendo assim, ela pode interceder favoravelmente no momento da morte e transição de qualquer ser.

Karma (ou carma) significa literalmente “ação” em sânscrito. Esta palavra também é adotada por diversas religiões ao redor do mundo.

A lei do Karma é aquela que ajusta o efeito e a causa.

Ou seja, todo o bem ou mal que tenhamos feito numa vida irá nos trazer boas ou más consequências para esta ou para as próximas vidas.

Essa lei nunca muda e é conhecida em várias religiões como “justiça celestial”.

Kuan Yin também intercede por todos aqueles que estão passando por momentos difíceis nos quais precisam de apoio espiritual.

Estátuas e imagens de Kuan Yin

Kuan Yin é tão venerada na Ásia que existem muitas imagens e estátuas da Deusa.

Estas imagens e estátuas podem ser para pequenos altares criados dentro de casa ou ainda enormes estátuas em templos e locais sagrados.

Abaixo você pode ver a imagem de Kuan Yin que temos aqui em casa. É relativamente grande!

Mas agora, pense: Qual a maior estátua que você conhece?

Se você for brasileiro(a) a resposta provavelmente será o Cristo Redentor no Rio de Janeiro.

Sim, ele é bem grande! Ele tem cerca de 38m de altura. Muito alto!

Agora, vamos pensar pelo mundo inteiro.

Temos estátuas que passam dos 100m de altura! Sim, quase 3 vezes mais altas que o Cristo Redentor.

E a surpresa é que temos, dentre as estátuas mais altas do mundo, diversas representações da Deusa da Misericórdia (Guanyin e Kannon).

A maioria delas está na China e no Japão.

Veja abaixo um gráfico comparando a altura de uma pessoa (1,75m) com o Cristo Redentor e com várias estátuas de Kuan Yin na Ásia.

Toque na imagem para ampliar.

Gráfico comparando o tamanho de estátuas de Kuan Yin com o Cristo Redentor
Gráfico comparando o tamanho de estátuas de Kuan Yin com o Cristo Redentor

Tarot da Deusa

Deusa Kuan Yin - The Goddess Tarot
Deusa Kuan Yin – The Goddess Tarot

Kuan Yin é uma das Deusas presentes no Tarot da Deusa. A carta número XII, Kuan Yin, representa o Sacrifício.

Homenageada como a santa mãe da compaixão, Kuan Yin é uma das Deusas mais adoradas da China. Ao invés de se permitir gozar as delícias do paraíso, Kuan Yin jurou nunca deixar a Terra até que o último ser humano estivesse livre da dor, sacrificando-se pelo bem maior de todos.

The Goddess Tarot
Quem é Kuan Yin - Pinterest
Salve esta imagem no Pinterest!
Categories Deusas

2 thoughts on “Kuan Yin – Conheça a história da Deusa da Compaixão no Budismo”

  1. Amei a forma como você retratou a deusa, sua simbologia e mito. Estou fazendo uma pesquisa à respeito de Kuan Yin para uma apresentação que farei no meu coven no Dia Mundial da Deusa e até agora o artigo que mais gostei foi o seu, foi de grande ajuda. Adorei o seu vídeo também! Parabéns pelo trabalho.

    Beijos e muita luz!

    Reply
    • Oi, Laura! Muito obrigado! Você comentou no vídeo também, não foi? Eu ainda vou atualizar este artigo, ele foi postado há muito tempo. Que bom que gostou mesmo assim 😀

      * edit *
      Atualizei o post! 😀

      Reply

Leave a Comment

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.