Home » Deusas » Saule – Deusa do sol e do ciclo da vida
DanFF 2021

Olá, tudo bem? Está precisando de um conselho das Deusas? Use o nosso Oráculo gratuito e receba uma mensagem agora! Toque aqui para acessar!

Saule – Deusa do sol e do ciclo da vida

Last Updated on / Atualizado em
by DanFF

  •  Atribuições: Deusa do sol, da vida, fertilidade, calor e saúde
  • Símbolo: Âmbar, maçã, coroa, margarida ou girassol, roseta
  • Local: Lituânia, leste da Polônia e mar Báltico

A Deusa Saule é a divindade solar lituana, responsável pelo bem-estar e pela regeneração do ciclo da vida na Terra. É dito que ela acompanha a vida de todos os seres desde o nascimento e na morte recebe seus espíritos em sua macieira.

De acordo com o mito báltico, Saule percorre o céu todos os dias em uma carruagem com rodas de cobre que é puxada por cavalos incansáveis, e a noite, vai para o seu castelo de prata no fim do mar para banhar os equinos.

No início da criação ela foi casada com o Deus Lua Menesis e tiveram várias crianças juntos: a primeira foi a Terra e as demais são Estrelas. Dentre as Estrelas, uma lhe era especial: Austrine (ou Saules Meita, como chamada pela maioria).

Saule era trabalhadora assídua, todas as manhãs saía pelo céu para levar luz e prosperidade ao mundo, enquanto seu esposo era inconstante e despreocupado e saía com sua carruagem lunar somente às vezes, deixando o mundo à mercê das trevas.

Todas as noites, após banhar seus cavalos, ela procurava Austrine, sua bela filha de cabelos compridos. Contudo um dia não a encontrou – na ausência da Deusa, seu marido havia estuprado a criança. Extremamente furiosa, Saule pegou uma espada e golpeou-lhe no rosto, deixando as marcas que hoje vemos no disco lunar.

Desde então o mal invadiu o mundo e os dois não são mais vistos juntos no céu.

A dor de uma Mãe

A maioria das lendas de Deusas e Deuses trazem histórias de castigo e superação. Uma característica marcante desta em questão é que o sofrimento causado à Deusa foi devido ao estupro ocorrido com sua filha. Esse sofrimento por amor ao próximo traz Saule mais próxima da humanidade e mostra que, após banir Menesis para proteger sua família, não desistiu de seu objetivo inicial: ela continua trazendo luz e regendo a vida do mundo.

Como a Grande Mãe da Wicca, essa Deusa possui sua face benevolente e sua face destruidora, deixando ainda mais em evidência o ciclo da vida que ela rege. É preciso destruir para renovar.

Invocando Saule

Situações difíceis enfrentadas no âmbito familiar são bastantes comuns. Violência, incesto, agressão psicológica e etc. Infelizmente vivemos numa sociedade machista e muitas mulheres se veem obrigadas a aguentar situações deste tipo por acharem que não possuem força para enfrentar a opressão masculina.

O mito de Saule nos mostra que toda mulher possui sim força suficiente para não se sujeitar a nenhum tipo de violência, nem contra ela mesma e nem contra suas filhas e filhos.

Caso você passe por alguma situação do tipo, você pode buscar a ajuda da Deusa Saule para conseguir a força para superar e seguir em frente. Vale também lembrar que, se você conhece alguém nesta situação, você também pode fazer o ritual junto com a pessoa para ajudá-la.

Para invocar Saule e pedir força para ela, comece montando um ambiente apropriado. Você pode usar velas e/ou incenso para criar um clima mais propício. Coloque fitas vermelhas no cabelo para remeter aos costumes das mulheres do Mar Báltico. Use margaridas para decorar o local e joias de âmbar como anéis e colares. Separe seu Athame.

Concentre-se na Deusa e em seu mito. Agora, conte em voz alta a sua história, os seus problemas e relacione-os com a força da Deusa. Visualize seus problemas em sua frente como um círculo de energia. Simbolicamente pegue seu Athame e corte a energia ruim com um único golpe.

Agradeça a presença da Deusa e saiba que agora a força dela estará com você. Não há o que temer, expresse seus sentimentos e busque sua liberdade.

Categories Deusas

Leave a Comment

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.