Home » Deusas » Deusa Hathor – Deusa Egípcia do destino e dos prazeres

Deusa Hathor – Deusa Egípcia do destino e dos prazeres

Foto Perfil DanFF 2021 (150x150)

Olá, tudo bem? Você já faz parte do grupo no Telegram? Entre agora e receba notificações em primeira mão!

Last Updated on / Atualizado em
by DanFF

A Deusa Hathor é uma das mais importantes Deusas do Egito. Seu culto se estende por mais de 3000 anos. Geralmente ela é representada como uma Vaca e ela está relacionada ao destino e aos prazeres carnais.

Devido à grandeza de seu culto (tanto territorial quanto temporal) é comum aparecerem variações dentro de seu mito. Portanto, por vezes é filha do Deus Sol, Rá, e por vezes é mãe dele. Ela é geralmente representada como uma Vaca, mas também pode ser vista como uma leoa (sendo Hathor um aspecto da Deusa Leoa Sekhmet), uma figueira ou uma tamareira.

Deusa Hathor - Deusa Egípcia da fertilidade

A Deusa Hathor é mais comumente retratada como uma mulher com cabeça de vaca, com chifres e grandes asas saindo de seus ombros. Essa representação é um pouco similar à da Deusa ísis e nessa forma ela também é responsável por dar à luz ao universo.

  • Atribuições: Deusa do sol, da fertilidade, do destino, das artes, do amor e do prazer terreno
  • Símbolo: Vaca, leoa, sistrum (um chocalho similar à ankh), espelho
  • Local: Egito

Deusa Hathor – Deusa da fertilidade e dos prazeres

Os egípcios viam o céu como a grande barriga de uma vaca e o sol era a luz que passava através do vão de seus chifres. Devido a essa associação, a Deusa Hathor também era associada à fertilidade da terra e do povo, sendo, portanto, cultuada como uma Deusa da Fertilidade.

Muitos textos se referem à Deusa Hathor como “A dourada”, aquela que cria e fortalece os laços afetivos. Esta é uma definição apropriada, pois a Deusa Hathor era patrona dos prazeres do corpo, incluindo música, arte, cosméticos, dança e o ato sexual. Neste aspecto Hathor é relacionada também com a Deusa Bast.

Deusa Hathor – Deusa do destino

A Deusa Hathor governava tanto o nascimento quanto a morte e, nessa forma, ela era retratada como sete “Deusas Hathor”, responsáveis por predizer o destino inescapável de cada recém-nascido.

Como governanta do submundo era chamada de Rainha do Oeste, o ponto cardeal associado com a morte. Ela acompanhava seus devotos em sua jornada final, por isso rituais à sua devoção geralmente faziam parte de cada funeral.

Deusa Hathor - Papiro de Ani - O Livro dos Mortos
À direita temos a Deusa Tawaret e à esquerda temos a Deusa Hathor representada no Papiro de Ani – O Livro da Morte

[su_spoiler title=”Clique aqui para ler um comentário sobre a imagem acima extraído do Book of the Dead (tradução livre)” style=”fancy” icon=”chevron”]Devemos considerar esta cena conclusiva como uma continuação da placa anterior. O elemento chave de toda a vinheta é a representação despretensiosa da tumba de Ani com seu topo piramidal no canto inferior direito. Neste ponto do papiro, Ani certamente alcançou o objetivo do documento e logo estará “atravessando o dia” pelo portal. A tumba é mostrada aninhada contra a Montanha Ocidental de Tebas, na qual foram cortados os poços do sepulcro. Elevando-se acima do túmulo, o declive do penhasco do deserto, indicado pelo solo rosado listrado e pontilhado.

A montanha é incongruentemente cercada por um mato de papiro. Os talos de papiro não estão ligados à montanha, mas sim à Deusa Hathor, cuja cabeça é mostrada emergindo da encosta. O matagal simboliza os pântanos onde o gado não domesticado perambulava nos tempos primordiais. O olho da deusa está na forma do olho de Hórus ou Re, e ela usa o colarinho colar de Menat (outro nome da Deusa) no pescoço. Entre seus chifres há um disco solar encimado por duas penas de avestruz. Além de seus outros atributos, Hathor se tornou uma grande divindade da vida futura no Novo Reino. Em Tebas, ela estava particularmente associada à Montanha Ocidental, onde os túmulos reais e privados estavam localizados. Em Deir el-Bahri, a seção da necrópole tebana onde ficava o esplêndido templo mortuário da Rainha da Décima Terceira Dinastia, a Rainha Hatshepsut, havia um culto a Hathor, que segundo a lenda aparecera em uma caverna. Hathor, então, é mostrada emergindo na luz, assim como Ani esperava fazer ele mesmo. Esta ilustração é um notável testemunho do caráter alusivo da arte religiosa egípcia.[/su_spoiler]

Trismegistia Brasil

Siga Trismegistia no Spotify

Deusa Hathor – Deusa do Amor

A Deusa Hathor foi muito amada no antigo Egito, mas possui uma história de origem um tanto conturbada. No início de sua existência ela era chamada de “Olho do Sol” ou “Olho de Rá” e nessa forma, era a Deusa da Destruição, a intensa e forte Deusa Sekhmet.

De acordo com a lenda, Rá, o Deus Sol, não estava mais sendo respeitado pelo povo do Baixo Egito durante seu mandato como Faraó e descobriu que o povo conspirava contra ele. Para resolver essa situação ele resolveu enviar seu olho para lidar com a questão.

O olho era a Deusa Sekhmet, que começou a matar centenas de pessoas e beber seu sangue. Quando Ra pediu que parasse, ela simplesmente o ignorou. O Deus então teve a ideia de colorir cerveja de vermelho (para lembrar sangue) e despejar pelos campos de batalha.

Sekhmet ficou tão bêbada com a cerveja que dormiu por três dias e foi purificada nesse processo, perdendo o gosto por sangue e carne humana. Ao despertar, ela mostrou uma face mais amável e benevolente, que é a Deusa Hathor.

Deusa Hathor – Deusa da nutrição

Originalmente a Deusa Hathor era uma personificação da Via Láctea, cuja criação foi considerada ser a partir do leite que fluiu das tetas de uma vaca divina. Com a passagem do tempo Hathor absorveu os atributos de várias outras Deusas e acabou aproximando-se da Deusa Ísis, que em determinado momento usurpou sua posição como a mais poderosa e popular Deusa do Egito antigo.

Mesmo dividindo espaço com Ísis, Hathor continuou sendo muito popular na história egípcia. Diversos festivais foram dedicados a ela e o número de crianças que receberam seu nome é maior do que o número de crianças que receberam os nomes de qualquer outro Deus ou Deusa Egípcio.

Invocando a Deusa Hathor

A Deusa Hathor é uma Deusa de muitos atributos e pode ser invocada por vários motivos, como por exemplo: Quando sentir-se em dúvida em qual caminho seguir na vida, para obter fertilidade onde precisar, para direcionar felicidade à sua vida e a de outros…

Abaixo segue um ritual simples para agradecer e fazer pedidos a essa Deusa:

Itens necessários

  • Símbolo de Hathor (Algo que a represente, uma estátua, um espelho, uma vaca…)
  • Óleos perfumados e perfumes de seu gosto
  • Incenso, se desejar
  • Comida e bebida

Recolha-se para um local tranquilo quando for descansar, pegue o símbolo escolhido, lave-o e passe os óleos e perfumes nele. Enquanto faz isso diga palavras, recite poesias ou cante músicas de amor, alegria, carinho…

Ao terminar, acenda o incenso, agradeça por tudo e faça seu pedido. Guarde o símbolo e coloque ao pé dele como oferenda comidas variadas como bolo e frutas e também bebida, por exemplo cerveja e vinho.

Após algumas horas volte e coma as oferendas, a energia que Hathor precisava ela já retirou. Peça para sempre continuar no caminho da Deusa e agradeça novamente.

Leituras recomendadas:

[su_custom_gallery source=”media: 3346,3347″ limit=”17″ link=”custom” target=”blank” width=”140″ height=”170″ title=”never”]

Deusa Hathor - Deusa do destino e dos prazeres (Pinterest)
Imagem de destaque anterior usada no post

Leia também sobreoutras Deusas Egípcias

[su_posts template=”templates/list-loop.php” posts_per_page=”0″ tax_term=”1029″ order=”asc” orderby=”title”]

Leave a Comment

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.